O Escapulário do Carmo

O Escapulário do Carmo

O Escapulário do Carmo

Um Manto de Misericórdia e de Graça

Toda a devoção de Maria na Ordem do Carmo está concentrada na devoção do Escapulário. È uma devoção amplamente difundida entre os fiéis de vários continentes e reconhecida pelo Magistério da Igreja. A devoção à Nossa Senhora do Monte Carmelo (Nossa Senhora do Escapulário) remonta a muito antes do tempo de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Há 800 a.C., o profeta Elias, subiu à montanha Santa do Carmelo na Palestina, onde iniciou uma longa tradição de vida contemplativa e de oração, assim Elias e seus companheiros se consagraram misticamente àquela que haveria de ser a Mãe de Deus, Santa Maria Rainha do Monte Carmelo. Cerca de três mil anos mais tarde esta tradição prevalece na Igreja Católica.

Na Festa de Pentecostes, os descendentes espirituais de Elias, desceram do Monte Carmelo. Foram eles os primeiros a aceitarem a mensagem do cristianismo e serem batizados pelos Apóstolos; foram apresentados à Nossa Senhora, e nunca mais puderam esquecê-la. De regresso à sua montanha, erigiram a primeira capela do mundo em honra da Santíssima Virgem Maria. A devoção à Mãe de Deus foi perpetuada pelos eremitas do Monte Carmelo.

Foi na madrugada de 16 de julho de 1251, Nossa Senhora apareceu ao carmelita São Simão Stock e entregou a promessa do Escapulário dizendo: “Será este privilégio para ti e para todos os carmelitas: quem morrer usando este Escapulário não sofrerá o fogo eterno.” Este privilégio, a Igreja estendeu aos leigos que desejassem ser investidos com o Escapulário do Carmo.

O Escapulário (castanho de lã de Nossa Senhora) é um manto de Nossa Senhora; é uma réplica em miniatura do hábito religioso, consiste em dois pequenos retângulos de lã ligados um ao outro por umas fitas, de modo ficarem pendentes, um sobre o peito e outro sobre as costas. Usar o Escapulário é fazer uma pública profissão de fé.

O Escapulário é um sacramental, é um sinal ou um objeto abençoado pela Igreja para suscitar bons pensamentos, aumentar a devoção e atrair o perdão do pecado venial. O uso do Escapulário indica que nos colocamos sob a proteção especial da Virgem Santíssima.

O primeiro Escapulário a ser usado deve ser benzido e imposto por um sacerdote usando a fórmula contida no ritual romano para a entrada na Confraria do Escapulário.   

Depois de ter recebido o primeiro Escapulário das mãos de um sacerdote, os Escapulários seguintes não precisam ser benzidos. A bênção e a imposição destinam-se à pessoa que o usa para a vida toda.

O Escapulário estando desgastado deve se enterrar ou queimar. Não se deve usar a medalha escapulário, pois não substitui o de tecido.

O Privilégio Sabatino consiste em uma rápida libertação das penas do Purgatório por especial intercessão de Santa Maria: no sábado, dia que lhe é consagrado. São três as condições para receber os benefícios do Privilégio Sabatino:

 

1º.) Usar o Escapulário;

2º.) Guardar a castidade, de acordo com o estado de vida;

3º.) Rezar diariamente o Pequeno Ofício de Nossa Senhora, o santo terço ou três Ave-Marias.

 

Nossa Senhora disse: “usai o Escapulário com devoção e perseverança. È o meu Manto. Usá-lo significa que estais continuamente a pensar em Mim e Eu estarei a pensar em vós e ajudar-vos a alcançar a vida eterna. Quem quer que morra usando este Escapulário não sofrerá o  fogo eterno”.

 

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós!

 

 

 

                            Pe Rogério Ruffo