Novena de Preparação para o Natal

Novena de Preparação para o Natal

Novena de Preparação para o Natal

 

Primeiro dia – Deus e Salvador das nossas almas, que nascestes entre nós mortais para renovar todo o mundo com a vossa piedosa vinda, fazei que nestes santos dias nos apliquemos a renovar perfeitamente a nó mesmos, seguindo a norma dos vossos exemplos.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração: Onipotente Deus, concedei, como Vos suplicamos, que o novo Nascimento de vosso Unigênito feito Homem nos livre da antiga servidão, que padecemos debaixo do jugo do pecado. Pelo mesmo Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que conVosco vive e reina na unidade de Deus Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Segundo dia – Piedosíssimo Redentor, que podendo vir ao mundo em idade perfeita quisestes condenar-Vos a estar nove meses retido no seio virginal de Maria, todo solitário, escondido e silencioso, ainda que fosseis o Verbo e a Sabedoria do Pai; fazei com que desses exemplos aprendamos a amar o retiro e o silêncio, a fim de fugirmos dos males que se encontram no tumulto e na dissipação do mundo.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração final, como no primeiro dia.


Terceiro dia – Deus menino, que encerrado no seio puríssimo de Maria não permanecestes nele ocioso, mas desde aqueles primeiros instantes suspirastes, gemestes e orastes, e Vos oferecestes todo o vosso Eterno Pai pela salvação das nossas almas, dignai-Vos fazer-nos vivamente conhecer a importância da nossa salvação, a fim de que possamos trabalhar nela com um santo temor e tremor, e consegui-la por meio de obras virtuosas e santas.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração final, como no primeiro dia.


Quarto dia – Dulcíssimo Jesus, que no seio de Maria fostes a Belém, para obedecer às ordens de César, que havia ordenado o recenseamento de todos os seus súditos, concedei-me a graça de obedecer prontamente às ordens, embora árduas, dos meus superiores, e daqueles que são vossos representantes na terra.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração final, como no primeiro dia.


Quinto dia – Jesus amabilíssimo, que chegando a Belém, onde devíeis ser recebido com a mais viva alegria, fostes pelo contrário repelido com indiferença e desprezo; concedei-nos a graça de sofrer com paciência, seguindo o vosso exemplo, os desprezos e as injúrias dos homens; e de recebermos a Vós com alegria, quando com as vossas santas inspirações e com os vossos santos sacramentos procurais entrar em nós.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória

Oração final. Como no primeiro dia.


Sexto dia – Vós, ó Divino infante, amoroso Jesus, vendo-Vos rejeitado de Belém, inspirastes à vossa santa Mãe que se abrigasse numa tosca e mal defendida choupana. Em tão vil e miserável tugúrio quisestes nascer Vós, ó grande Monarca dos Céus, Deus de imensa grandeza e de infinita majestade, para confundir a nossa soberba e ensinar-nos a tão necessária humildade. Ah! Fazei que nos conformemos aos vossos desejos, renunciando daqui em diante às vaidades e grandezas deste mundo, e tornando-nos verdadeiramente humildes de espírito, de coração e de costumes.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração final, como no primeiro dia.


Sétimo dia – Vós éreis sumamente rico e feliz, ó Verbo Divino, porque sois o Senhor dos senhores, o Criador e o Senhor de todas as coisas, mas por amor de nós tão pobre Vos quisestes fazer, que escolhestes para o vosso nascimento o lugar mais vil e abandonado; quisestes ser envolvido em pobres panos, colocado num presépio, no meio de dois animais, e sofrer as maiores privações e os mais penosos incômodos. Ah! Fazei, ó Divino Mestre, que também nós, renunciando generosamente a todas as delícias mundanas, abracemos a pobreza de espírito e a mortificação da carne tão necessárias à salvação.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração final, como no primeiro dia.


Oitavo dia – Apesar de que Vós, ó Divino Salvador, como senhor de todos os tempos e de todos os momentos, pudésseis ter nascido em qualquer época, entretanto, como Príncipe da Paz, como tal já anunciado pelos Profetas, quisestes nascer quando, debaixo do reinado de César Augusto, todo o mundo estava em paz. Ah! Dignai-Vos, ó Rei pacífico, pôr em paz as nossas internas potências, submetendo-as a Vós, a fim de que na próxima e feliz solenidade possais também nascer nos nossos corações.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração final, como no primeiro dia.


Nono dia – Chegado o dia memorando e eternamente feliz, tão esperado pelos Patriarcas e pelos Profetas, entre as trevas da noite viestes ao mundo, ó Autor e Rei dos séculos, ó verdadeiro filho de Deus de Maria! Sede por todos bendito por todos os séculos, porque com a vossa vinda nos libertastes da mísera escravidão do demônio, fazendo de nós um povo querido e santo. Ah! Concedei-nos, ó nosso Rei divino, que renegando nós toda a impiedade e todos os desejos do século pervertido, vivamos constantemente da vossa graça e do vosso amor, no exercício de todas as virtudes cristãs, para podermos um dia ser chamados ao gozo daquela glória inefável, que reservais aos vossos amados filho e fiéis servos.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração final, como no primeiro dia.